OCEMG / SESCOOP / MG

Notícias

09/10/2019
Novos ramos do cooperativismo são apresentados durante o WCM

O cooperativismo brasileiro será representado, a partir de 2020, por sete ramos em vez de 13. Durante participação no World Coop Management (WCM), nos dias 30 de setembro e 1º de outubro, em Belo Horizonte, o superintendente do Sistema OCB, Renato Nobile, comentou sobre essa modernização.

O dirigente explicou que nada muda na rotina das cooperativas e que essa alteração, que ocorre apenas no âmbito do Sistema OCB, se faz necessária para promover o fortalecimento e dar maior representatividade para o segmento.

Nobile destacou que a classificação das cooperativas brasileiras em ramos é necessária para que a OCB se organize internamente e otimize os esforços de suas equipes, com vista ao máximo aproveitamento das ações de representação dos interesses dos cooperados junto aos Três Poderes da República. Ainda segundo o superintendente, a Lei nº 5.764/1971 não faz essa classificação, mas a Unidade Nacional, seguindo a tendência mundial de segmentar para melhor representar e, visando dar cumprimento às suas competências legais, deliberou pela atualização.

"O que queremos é conversar melhor com a nossa base, debatendo com as cooperativas as suas necessidades, agrupando-as conforme suas afinidades e, por fim, construindo um ambiente cada vez mais sólido para que se desenvolvam com sustentabilidade", argumentou.

Durante o evento, Nobile também divulgou, em primeira mão, um vídeo e uma cartilha que acabam de ser produzidos pela OCB e que explicam o processo de modernização dos ramos.

Vantagens

A reclassificação traz como principal benefício o atendimento do Sistema OCB com maior representatividade, em uma organização que apresenta ramos robustos. Além disso, a organização em grandes setores é mais adequada e flexível para se adaptar às rápidas mudanças de mercado e inovação. E, como consequência, haverá uma maior padronização, alinhamento de discurso e comunicação mais assertiva.

Sem ônus

As cooperativas não terão nenhum ônus com essa reclassificação e sua rotina seguirá normalmente. É importante reforçar que a classificação, como dito, tem seu alcance apenas internamente, na organização da representação e defesa das cooperativas. Não se presta, portanto, para definir o tratamento tributário, o enquadramento sindical ou mesmo a legislação aplicável a cada ramo. Todos esses pontos seguem sendo analisados a partir do objeto social e dos atos praticados pela cooperativa com seus cooperados.

Como eram e como ficam

Atualmente, as cooperativas são classificadas nos seguintes ramos: agropecuário, consumo, crédito, educacional, especial, habitacional, infraestrutura, mineral, produção, saúde, trabalho, transporte, turismo e lazer. Essa classificação vale até o dia 31 de dezembro deste ano. A partir do dia 1º de janeiro do ano que vem, passam a valer os novos ramos, considerando que alguns foram agrupados a outros.

Os novos ramos serão: Trabalho e Produção de Bens e Serviços; Infraestrutura; Consumo; Transporte; Saúde; Agropecuário e Crédito.

(Com informações do Sistema OCB)

 

PUBLICAÇÕES

SOBRE

O Sistema Ocemg é formado pela Ocemg, entidade de representação política e sindical patronal das cooperativas no Estado, e também pelo Sescoop-MG, responsável pelas atividades de formação profissional, monitoramento e promoção social do setor. Atua em benefício do crescimento e desenvolvimento do cooperativismo mineiro, orientando as cooperativas na busca por uma gestão cada vez mais eficiente, que impulsione o crescimento socioeconômico do Estado.

Este site é assinado por: Bhtec e:house
Sistema Ocemg        
Rua Ceará, 771 - Funcionários - Belo Horizonte-MG - CEP: 30150-311
Telefone: (31) 3025-7100
Horário de Funcionamento: Segunda à Sexta: 8:30h às 17:30h